Proposta acaba com possibilidade de concessão de serviços postais

O Projeto de Lei 4817/20 exclui da legislação a possibilidade de concessão dos serviços postais à iniciativa privada. A proposta tramita na Câmara dos Deputados.

O texto altera a Lei 9.074/98, que hoje prevê a concessão dos serviços postais. A mudança na lei é proposta pelo deputado André Figueiredo (PDT-CE), que alega inconstitucionalidade no dispositivo.

Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Ordem do dia. Dep. André Figueiredo(PDT - CE)
André Figueiredo afirma que concessão é inconstitucional

Segundo ele, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu em 2009 que serviço postal é de prestação obrigatória e exclusiva do Estado, através de empresa 100% pública – a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT).

Com a decisão, cartas pessoais e comerciais, cartões-postais e correspondências agrupadas (malotes) só podem ser transportados e entregues pela estatal. No mesmo julgamento, o STF entendeu que as transportadoras privadas podem entregar outros tipos de correspondências e encomendas.

“Antes de se tratar de um mero exercício de liberdade de conformação pelo legislador ordinário, a revogação do dispositivo é medida que se impõe por sua flagrante inconstitucionalidade”, disse Figueiredo.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Fonte: CÂMARA DOS DEPUTADOS

Use o Facebook para comentar e divulgar

Comentário

Deixe uma resposta