Reforço da integração econômica e social é prioridade de Russomanno à frente do Parlasul

O deputado Celso Russomanno (Republicanos-SP) será o presidente do Parlamento do Mercosul ao longo de 2021. Ele foi escolhido pela representação brasileira para substituir o parlamentar argentino Oscar Laborde, que ocupou o cargo em 2020. O Parlasul tem sede em Montevidéu, capital uruguaia, e é órgão legislativo e de representação civil do bloco econômico integrado por Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela, além da Bolívia que tem status de estado associado. Entre os desafios de sua gestão, Celso Russomanno citou o fortalecimento institucional e das competências do Conselho do Mercado Comum, órgão superior do Mercosul.

“No presente momento, apenas o Brasil disciplinou a legislação nacional para a tramitação rápida dos tratados, quando acionado. É necessário que os demais países adotem as regras previstas no protocolo para que possamos exigir do conselho a utilização do mecanismo e assim aumentar a competência normativa do Parlasul”.

Outro desafio é o reforço da integração macroeconômica. Russomanno lembra que o intercâmbio comercial do Mercosul movimenta mais de US$ 400 milhões de dólares por ano. O deputado defende o fortalecimento do Mercosul sobretudo para ampliar as exportações para União Europeia, Estados Unidos e China.

“Somos respeitados no mundo todo porque somos um bloco. No dia em que não formos bloco e ficarmos como países independentes tentando exportar para outros países, teremos todas as dificuldades do mundo. Por isso, temos que fazer com que esse bloco seja unido cada vez mais”.

O novo presidente do Parlasul também quer utilizar o órgão como instrumento para aprofundar a integração social, cultural e política da população dos seis países.

“O Parlamento representa os povos e tem o dever de fazer a integração. Com a união, o Brasil está começando a trocar as placas de veículos e você poderá transitar nos países do Mercosul sem ser barrado nas fronteiras. Hoje, a carteira de identidade brasileira é suficiente para você viajar a qualquer país do Mercosul” afirma. Ele destaca que há uma comunidade imensa de bolivianos, paraguaios, argentinos vivendo no Brasil e vice-versa nos outros países.

E para promover a aproximação política, Celso Russomanno anunciou a intenção de promover visitas recíprocas e eventos conjuntos do Parlasul com os parlamentos nacionais dos países do Mercosul. A representação brasileira no Parlasul conta com 37 parlamentares.

Fonte: CÂMARA DOS DEPUTADOS

Use o Facebook para comentar e divulgar

Comentário

Deixe uma resposta